Os limites para liberdade

10 de outubro de 2018

Seguindo a máxima do “seu direito acaba onde inicia o meu”, a liberdade de expressão encontra seus limites quando as opiniões e comentários passam a ferir os direitos e liberdades de outra pessoa. Atualmente, comentários e pensamentos começaram a seguir um rumo mais violento do meio social e virtual, onde a cordialidade e o respeito foram suprimidos, abrindo assim, espaço para o ódio se propagar.

Primeiramente, é preciso considerar as evoluções tecnológicas que ocorreram ao longo dos anos e que facilitaram a disseminação de opiniões, assim como o ódio. Atualmente a internet é um dos maiores meio de comunicação e permitiu que todas as pessoas tivessem acesso a um vasto número de informações. Com ela vieram as redes sociais com o propósito de compartilhar os pensamentos das pessoas, mas sempre mantendo o respeito, uma situação bem diferente da qual é possível encontrar hoje, em que os comentários tomaram um rumo agressivo e as opiniões não são mais respeitadas.

Um ponto que corrobora isso é a questão do retrocesso intelectual do homem, que ao longo dos anos tem estado mais parecido com seus familiares da idade da pedra. Esse processo se evidencia nas redes sociais e no meio social, onde já não se pode ter um debate amigável com outra pessoa, por medo de ser atacado por todos que não concordam com sua opinião.  O debate civilizado parece ter se tornado raro, assim como os limites para liberdade de expressão.

Portanto, mesmo que a Constituição federal já possua artigos que condenem o discurso de ódio, é necessário ocorrer uma fiscalização por parte do governo, o qual deve incentivar a denúncia dos casos que não respeitam os artigos de liberdade de expressão da Carta Magna. O limite precisa existir para que a liberdade seja garantida, assim como o “seu direito acaba onde inicia o meu”.

 

Luca Viegas Leviski, 3º ano do Ensino Médio